KARTING

EMOÇÃO e PAIXÃO

FacebookTwitterInstagramYoutubePocketMags

Portugueses em bom plano nas Rotax Max Challenge Grand Finals no Brasil

Portugueses em bom plano nas Rotax Max Challenge Grand Finals no Brasil
Races

Por Filipe Cairrão
 
Depois de dois dias dedicados a treinos livres oficiais, a 19ª edição das Rotax Max Challenge Grand Finals – na qual estão a participar 360 pilotos oriundos de 60 países distribuídos por seis categorias –, prosseguiu hoje, no Circuito Internacional Paladino, no nordeste do Brasil, com a sessão única de treinos cronometrados e com a disputa das primeiras mangas de qualificação.
 
Guilherme de Oliveira
3.º na categoria Júnior
Guilherme de Oliveira, depois de ter sido o 7.º mais rápido nos treinos cronometrados da categoria Júnior entre 72 concorrentes – em que ficou a 0,187s do melhor tempo alcançado pelo australiano Jaiden Pope –, esteve na luta pela vitória na primeira manga de qualificação. Depois de arrancar da 3.ª posição, o piloto de Vila Nova de Gaia passou para o 2.º posto e esteve a pressionar o líder Noel Leon, piloto mexicano que acabaria por vencer, na frente do holandês Robert Haan, enquanto Guilherme de Oliveira garantiu um excelente 3.º lugar, numa corrida em que o francês Cesar Gazeau rubricou a volta mais rápida (53,124s) e terminou na 11.ª posição entre 36 concorrentes. Na outra manga de qualificação da categoria Júnior, também disputada por 36 pilotos, o australiano Jaiden Pope confirmou a rapidez que havia demonstrado nos treinos cronometrados e bateu toda a concorrência, terminando com uma expressiva vantagem de 1,586s face ao segundo classificado, o canadiano Thomas Nepveu, numa corrida em que o dinamarquês Victor Frost Bay – 4.º classificado –, rubricou a volta mais rápida em 53,194s.
 
Gonçalo Coutinho
7.º na categoria Sénior
Igualmente inserido num pelotão com 72 pilotos, Gonçalo Coutinho depois de ter sido o 21º mais rápido nos treinos cronometrados da categoria Sénior, com a marca de 52,498s, conseguiu, na primeira manga de qualificação, disputada por 36 pilotos, recuperar do 11.º lugar até à 7.ª posição, numa corrida em que triunfou o sueco Hannes Morin, enquanto o holandês Senna Van Walstijn (4.º classificado) assinou a volta mais rápida com o tempo de 52,505s.
Na outra manga de qualificação da categoria Sénior, também disputada por 36 concorrentes, vitória para o austríaco Mario Novak e volta mais rápida para Benjamin Jurczak com a marca de 52,433s, piloto australiano que terminou na quinta posição.
 
Rui Pereira estreia-se
com um 27.º lugar na DD2 Master
Rui Pereira – estreante no Mundial Rotax – está a defender as cores nacionais na categoria DD2 Master entre 72 participantes. O piloto natural de Matosinhos obteve o 29.º melhor registo nos treinos cronometrados, sessão em que o sul-africano Cristiano Morgado foi o mais rápido com o tempo de 52,562s, tendo depois o piloto português terminado a sua primeira manga de qualificação no 27.º lugar (sem muita sorte) entre 36 concorrentes, numa corrida em que triunfou o sul-africano Michael Stephen e o australiano Matthew Hamilton rubricou a volta mais rápida em 52,534s, sendo, contudo, apenas 18.º classificado.
Na outra manga de qualificação, igualmente discutida por 36 pilotos, vitória para o austríaco Robert Pesevski, que também estabeleceu a melhor volta em 52,884s, confirmando a rapidez que havia demonstrado nos treinos cronometrados.
 
Boas recuperações
de Mariano Pires e Pedro Pinto na DD2
Na categoria DD2, Portugal tem dois representantes: Pedro Pinto, vencedor do Rotax Max Challenge Portugal, e Mariano Pires, que venceu as Series Rotax Espanha. Nos treinos cronometrados, o australiano Ryan Kennedy foi o mais rápido com a marca de 51,964s, enquanto Mariano Pires estabeleceu a 9.ª melhor volta (52,329s) e Pedro Pinto – sem muita sorte – foi 50.º classificado com o tempo de 52,927s.
Na primeira manga de qualificação, disputada por 36 pilotos, o costa-riquenho Daniel Formal bateu toda a concorrência e o norueguês Nikolai Stien, que foi 8.º classificado, rubricou a melhor volta em 52,055s.
Quanto aos portugueses, Mariano Pires largou da quinta posição, mas logo no arranque viria a cair para o 25.º lugar. O piloto de Ponte de Lima conseguiu, no entanto, ver a bandeira xadrez no 13.º posto, sendo o quinto mais rápido da corrida. Pedro Pinto, forçado a largar da 26.ª posição (depois do azar nos treinos cronometrados), também caiu logo após a partida para a 30.º lugar, mas o piloto do Porto ainda conseguiu recuperar até à 19.ª posição.
Na outra manga, na qual alinharam outros 36 concorrentes, vitória para o esloveno Xen De Ruwe, numa corrida em que o norte-americano Taylor Greenfield (5.º classificado) assinou a volta mais rápida em 51,885s.
 
José Barros 14º
na categoria Mini-Max
José Barros foi o 14.º mais rápido nos treinos cronometrados da categoria Mini-Max com a marca de 57,126s, não ficando muito longe do russo Iakov Soklov que garantiu a melhor volta em 56,818s. Na primeira manga de qualificação, o piloto do Porto largou da 13.ª posição e terminou no 16.º posto entre 36 concorrentes, numa corrida em que o alemão Farin Megger bateu toda a concorrência e rubricou a volta mais rápida em 56,837s.
 
Christian Costoya
foi 15.º na Micro-Max   
Sem representantes portugueses na categoria Micro-Max, o espanhol Christian Costoya, ‘nosso’ conhecido por ter ganho o Rotax Max Challenge Portugal, que lhe permitiu obter a qualificação para o Mundial no Brasil, foi o 22.º mais rápido nos treinos cronometrados entre 36 concorrentes com a marca de 1m00,066s , tendo a melhor volta sido rubricada pelo holandês Mitchell Van Dijk com o tempo de 59,124s.
Na primeira manga de qualificação, venceu o belga Douwe Dedecker – o mais rápido com a marca de 59,484s – e Christian Costoya viu a bandeira xadrez na 15.ª posição.    
 
Amanhã, a 19.ª edição das Rotax Max Challenge Grand Finals prossegue com mais duas mangas de qualificação para cada categoria, antes das Pré-Finais agendadas para sexta-feira e das Finais que se realizarão no sábado.

OKKART srl © COPYRIGHT 2018 | VAT IT02629390598 | Privacy Policy - Cookies Policy