KARTING

EMOÇÃO e PAIXÃO

FacebookTwitterInstagramYoutubePocketMags

Mariano Pires tricampeão Júnior do RMCP e garante nova presença no Mundial em Itália

Mariano Pires tricampeão Júnior do RMCP e garante nova presença no Mundial em Itália
Races

O terceiro lugar alcançado por Mariano Pires na quinta e última prova da categoria Júnior do Rotax Max Challenge Portugal, disputada no Kartódromo de Viana do Castelo, sob a organização do Motorsport Viana Clube, foi suficiente para o piloto de Ponte de Lima conquistar pela terceira vez o título de campeão, assim como o ‘passaporte’ para mais uma Final Mundial Rotax, a disputar entre 15 e 22 de outubro, no Circuito Internacional de Nápoles, em Itália.

Na jornada minhota, o francês Axel Charpentier ‘puxou dos galões’ de campeão europeu para vencer a prova, tendo como principal opositor o espanhol Filip Vava, segundo classificado.

 

Texto Filipe Cairrão

Fotos VVL Sport Image

 

Ainda com o ritmo de quem disputou e conquistou o Euro Rotax Max Challenge, o francês Axel Charpentier (FA), apesar de ter corrido pela primeira vez este ano em Portugal, mais concretamente na pista de Viana do Castelo, venceu com autoridade a quinta e última prova do ‘challenge’ português. O gaulês bateu toda a concorrência nas três Finais, garantindo, com naturalidade, o lugar mais alto do pódio.

Filip Vava (Tonykart) foi o principal opositor do campeão europeu. O piloto espanhol deu excelente réplica a Charpentier quer na Final 1 quer na Final 2, cruzando a linha de chegada na segunda posição a escassos milésimos de segundo do recém-coroado campeão europeu Júnior Rotax. Na Final 3, Vava terminou a corrida na quarta posição, mas foi suficiente para ser segundo classificado tanto na prova minhota como na classificação final da edição de 2016 do Rotax Max Challenge Portugal.

Mariano Pires (CRG), a correr em ‘casa’, estava focado em conquistar pela terceira vez o título de campeão Júnior e, ao mesmo tempo, assegurar mais uma presença no ´Mundial’ da especialidade, que será disputado no Circuito Internacional de Nápoles, entre 15 e 22 de outubro. O piloto de Ponte de Lima começou por ser quarto classificado na Final 1, tendo depois garantido o terceiro lugar quer na Final 1 quer na Final 2, pelo que acabaria por completar o pódio da prova vianense, suficiente para sagrar-se campeão e festejar também mais uma presença numa Final Mundial.

Gonçalo Coutinho (FA), mais uma das promessas do Karting português e que na próxima época será um dos principais favoritos ao título de campeão Júnior – se não decidir transitar para a categoria Sénior Max –, fez uma prova em crescendo já que na Final 1 foi sexto classificado, na Final 2 cruzou a meta no quarto posto e na Final 3, com um ritmo muito forte viu a bandeira xadrez na segunda posição. Uma boa prestação do piloto de Gondomar que lhe permitiu ser o quarto classificado na prova e conquistar um meritório terceiro lugar no Rotax Max Chalenge Portugal de 2016.

Rodrigo Ferreira (Praga) – também um dos principais favoritos à vitória, bem como ao título de campeão Júnior em 2017… se continuar na categoria – garantiu a pole-position e deixava antever que seria um dos candidatos ao lugar mais alto do pódio nesta ronda. Contudo, o piloto do Porto, depois de ser terceiro classificado na Final 1, não teve muita sorte nas Finais 2 e 3 e acabou por encerrar o top-5 desta última jornada. Contudo, o portuense garantiu um honroso quarto lugar na classificação final do Rotax Max Challenge Portugal de 2016.

O ‘rookie’ Manuel Alves (FA) deu mais uma demonstração que está a evoluir bastante. O piloto da Trofa rodou sempre nos lugares da frente e concluiu a prova na sexta posição, à frente de outro ‘rookie’, nomeadamente António Correia (CRG). O piloto do Fundão garantiu, no entanto, um prestigiante quinto lugar na classificação final do Rotax Max Challenge Portugal e será, em 2017, também um nome a ter em conta na luta pelo título.

Guilherme Gusmão (Tonykart) continua a mostrar um ritmo muito forte. Contudo, na Final 2, o piloto de Évora seria forçado a desistir logo à passagem da primeira volta, hipotecando particamente nesta fase da prova as aspirações quanto a um resultado mais positivo do que o oitavo lugar. Ainda assim, Guilherme Gusmão foi protagonista de uma assinalável recuperação na Final 3, dado que largou do 13º posto e cruzou a meta na quinta posição. Uma boa corrida do piloto de Évora, que também é apontado como um dos favoritos ao título em 2017, na eventualidade de não optar por transitar para a Sénior Max.

O madeirense Jack Spínola (BirelArt), bem como José Neves (Zanardi) rodaram nos lugares da frente, mas no somatório de todos os resultados acabaram por fechar, respetivamente, o top-10. Spínola terminou a competição num positivo sétimo lugar, enquanto o eborense José Neves também tem motivos para estar satisfeito com a classificação final do Rotax Max Challenge Portugal de 2016, já que garantiu uma honrosa sexta posição.

Lourenço Monteiro (FA) foi o 11º classificado da prova minhota, à frente do espanhol Alvaro Montenegro (Intrepid), de Gonçalo Pinto (Tonykart) e de Diogo Marques (BirelArt) que se fosse instituído o ‘Prémio Azar’ seria certamente para ele. Na Final 2, o piloto de Abrantes foi forçado a desistir devido a um incidente e não pôde alinhar na Final 3 devido a uma fratura no braço direito. Diogo Marques, estreante na categoria Júnior, também será em 2017 um dos pilotos a ter em conta na luta pelo título.

OKKART srl © COPYRIGHT 2018 | VAT IT02629390598 | Privacy Policy - Cookies Policy