KARTING

EMOÇÃO e PAIXÃO

FacebookTwitterInstagramYoutubePocketMags

Portugueses destacaram-se nas Series Rotax Espanha apesar de vários ‘contratempos’

Portugueses destacaram-se nas Series Rotax Espanha apesar de vários ‘contratempos’
Races

A quarta e última prova das Series Rotax Espanha foi disputada por 114 pilotos, no Circuito Internacional de Zuera, próximo de Zagaroza, e contou com 14 lusos. Parte deles esteve em evidência ao classificarem-se nos lugares da frente… mas o maior ‘desalento’ para Portugal foi o facto de um toque impedir que Luís Cidade conquistasse o título na categoria Sénior Max e que daria ao piloto de Matosihos a qualificação para as Finais Mundiais Rotax que se realizarão entre 16 e 22 de outubro no circuito italiano de Sarno.   

  

Filipe Cairrão

Foto VVL Sport Image

 

Começando pela categoria DD2, única cujos karts têm caixa de velocidades, Pedro Pinto (Tonykart) ficou a 2 pontos de alcançar um lugar no pódio. O piloto do Porto foi o 4º mais rápido nos treinos cronometrados, quanto nas duas corridas onde rodou sempre nos lugares da cimeiros, obteve um 6º e depois um 4º lugar, resultados que somados permitiram a Pedro Pinto concluir a prova de Zuera na 4ª posição. Prestação bem positiva para o portuense que esta a cumprir a sua primeira época na categoria DD2, tendo terminado as competitivas Series Rotax Espanha 2016 num assinalável 5º lugar entre pilotos bem experientes e talentosos, como Oriol Dalmau (CRG) ou Antonio Aguado (Birel Art) que venceu a prova e qualificou-se para as Finais Mundiais Rotax que serão disputadas entre 16 e 22 de outubro no circuito italiano de Sarno e que terá a companhia do seu compatriota Dalmau, por ter ganho a Copa Mojo 2016.

Nos DD2 Masters, Fernando Costa (Praga) foi sétimo classificado e conclui o campeonato na 4ª posição, enquanto António Bravo Lima (Praga) que só correu pela primeira vez este ano nas Series Rotax Espanha foi 8º classificado.

 

Luís Cidade, Alexandre Areia e Nuno Sousa na categoria Sénior Max

Um toque no kart de Luís Cidade (FA) logo na Corrida 1 que fez com que o piloto de Matosinhos terminasse na 6ª posição, sendo um duro golpe para a comitiva lusa. Com este incidente, Luís Cidade era obrigado a vencer a Corrida 2, mas acabou por cruzar a meta na segunda posição, terminando assim as Series Rotax Espanha 2016 num inglório segundo lugar a dois pontos de se sagrar campeão, título que ficou na posse do catalão Lluc Ibañez (Kosmic).

Alexandre Areia (Praga) foi penalizado na Corrida 1 por falsa partida, mas o piloto português não se deixou ‘abater’ e na Corrida 2 esteve em grande evidência ao recuperar do 18º lugar até à 8ª posição, minimizando assim o prejuízo para terminar as Series Rotax Espanha num positivo 11º lugar, dado que faz esta época a sua estreia na categoria Sénior Max.

Nuno Sousa (FA) correu pela primeira vez este ano no país vizinho mas não teve a sprte do seu lado na Corrida 1, tendo mesmo acabo por não alinhar na Corrida 2.

 

Mariano Pires e Guilherme Gusmão na categoria Júnior

Na categoria Júnior, Mariano Pires (CRG) contou com problemas no seu kart desde os treinos livres de sábado e nos treinos cronometrados rubricou o sétimo melhor tempo, tendo na Corrida 1, terminado no 14º lugar, enquanto na Corrida 2 – na qual ainda rodou na terceira posição – foi o sétimo a ver a bandeira xadrez. Mesmo assim o piloto de Ponte de Lima foi 4º classificado nas Series Rotax Espanha 2016, ficando apenas a 3 pontos do 3º posicionado, enquanto o vencedor foi Aitor Sorozabal (Tonykart).  

Pior sorte teve Guilherme Gusmão (Tonykart), dado que após lesionar-se nos treinos livres ficou bastante limitado para realizar uma boa prova. O piloto de Évora ainda estabeleceu a nona melhor marca nos treinos cronometrados, mas na Corrida 1 teve mesmo de desistir após a quinta volta, não alinhando depois na Corrida 2.     

 

Guilherme de Oliveira, Frederico Peters e Gabriel Caçoilo na categoria Mini-Max

Além de Guilherme Gusmão, também Gabriel Caçoilo também foi obrigado a desistir da prova de Zuera devido a lesão, dado que na Corrida 1 sofreu um toque de um adversário logo após a partida que lhe deixou o kart (BirelArt) totalmente danificado.

Guilherme de Oliveira (FA) garantiu o quarto lugar na Corrida 1 e na Corrida 2, após toque, recuperou da 16ª até à 10ª posição, resultados que permitiram ao piloto de Vila Nova de Gaia terminar a prova num positivo 5º lugar, sendo 9º classificado nas Series Rotax Espanha de 2016, cumprindo o seu objetivo de se incluir no top-10.

Frederico Peters (Birel ART) que também esteve muito rápido, sendo exemplo disso o facto de ter estabelecido a 5ª melhor marca nos ‘cronos’, na Corrida 1 foi obrigado a cair várias posições, recuperando depois até ao 11º lugar. Na Corrida 2, o piloto de Évora fez uma recuperação notável até ao 4º lugar, o que lhe permitiu concluir as Series Rotax Espanha na 8ª posição – em igualdade pontual com o 7º classificado –, sendo um ótimo resultado entre um forte e extenso pelotão de 34 pilotos, cujo vencedor foi o catalão Mari Boya (Tonykart).

 

José Pinheiro, Marta e Diogo Figueiredo de Castro  na categoria Micro-Max

Depois de uma primeira experiência na 3ª prova, disputada no traçado de Recas, em Toledo, José Pinheiro (EKR) também alinhou na quarta e última jornada das Series Rotax Espanha. O piloto de Guimarães – que mostrou-se logo muito rápido nos treinos cronometrados ao rubricar o quarto melhor tempo – foi sexto classificado quer na Corrida 1 quer na Corrida 2, o que lhe valeu obter igual posição na classificação final, ficando a 2 pontos do quarto posicionado.

Os irmãos Marta Figueiredo de Castro (Maranello) e Diogo Figueiredo de Castro (Maranello) alinharam pela primeira vez numa prova das Series Rotax Espanha, mas a sorte não esteve do lado de ambos, dado que estiveram envolvidos num incidente logo na Corrida 1, tendo o diretor de prova interrompido mesmo a contenda, para depois a reiniciar.

OKKART srl © COPYRIGHT 2016 | P.IVA 02629390598 | PRIVACY POLICY