KARTING

EMOÇÃO e PAIXÃO

FacebookTwitterInstagramYoutubePocketMags

Rafael Rêgo triunfa em Braga e passa para o comando da categoria Cadete

Rafael Rêgo triunfa em Braga e passa para o comando da categoria Cadete
Races

O Troféu António Dinis – Categoria Cadete, integrado no Campeonato Nacional, voltou a ser muito concorrido na terceira jornada dupla, disputada no Kartódromo Internacional de Braga, com a organização a cargo do Clube Automóvel do Minho (CAM).

Os 25 pilotos, com idades entre os 7 e os 10 anos, sofreram bastante com os cerca de 43 graus que se fizeram sentir na cidade minhota, tendo levado a melhor Rafael Rêgo nas duas Finais, com Luís Alves a ser o seu principal opositor ao garantir a segunda posição. Lourenço Marques completou o pódio da Final 1 e Henrique Cruz ‘saboreou’ essa sensação na Final 2. Destaque para Duarte Pinto-Coelho, Duarte Ferreira e Mário Borges que garantiram um lugar no top-5, bem como para Matilde Ferreira, que venceu a classe feminina e na Final 2 recuperou da 21ª posição até ao 9º lugar!

Rafael Rêgo (nº 67), com chassis Energy, somou todos os pontos que eram possíveis de totalizar na prova bracarense: 78, passando da terceira posição para a liderança do Troféu António Dinis – Categoria Cadete, integrado no Campeonato Nacional.
Nos treinos cronometrados, o piloto de Odivelas completou a melhor volta ao traçado minhoto em 1m04,432s, venceu as corridas de qualificação e as duas Finais, rubricando a volta mais rápida em ambas. Luís Alves (nº 64), com chassis Haase, deu excelente réplica a Rafael Rêgo, ao ser segundo classificado em todas as fases da prova, chegando a passar pela liderança e a rubricar a volta mais rápida quer na primeira quer na segunda corrida de qualificação. Com este desempenho, o piloto de Guimarães passou do quarto para o segundo lugar da competição, tendo o líder à partida para Braga, Tomás Caixeirinho, com chassis Zanardi, tido pouca sorte sobretudo nas finais, nas quais foi 8º classificado na primeira e obrigado a desistir na segunda, logo após a terceira volta. Adriàn Malheiro deparou-se com diferentes contrariedades desde os treinos cronometrados, conseguindo ser 10º e depois 8º classificado nas Finais, insuficiente para manter a segunda posição no Troféu.

Lourenço Marques e Henrique Cruz com honras de pódio
Garantir um pódio entre 25 pilotos não é fácil e desta vez esse desiderato foi alcançado por Lourenço Marques (nº 54), com chassis DR, e por Henrique Cruz (nº 87), com chassis Energy.
Lourenço Marques foi terceiro classificado na Final 1, mas teve de resistir ao andamento de Duarte Pinto-Coelho (nº 52), com chassis Tonykart, e de Duarte Ferreira (nº 84), com chassis Zanardi, que completaram o top-5. Mas na luta por estas posições também estiveram Mário Borges (nº 60), com chassis Tonykart, Tomás Caixeirinho, Henrique Cruz – que largou do 24º lugar –, Tomás Ribeiro (Ricciardo) e Adriàn Malheiro – arrancou da 23ª posição – que completaram o top-10. Miguel Montana (Seijokart) foi 11º classificado e Tomás Martins (DR), que rodou no quinto lugar, cruzou a meta no 12º posto, enquanto o ‘rookie’ Miguel Couteiro (Zanardi), que esteve igualmente na luta pelo top-10, acabou por ser 13º classificado.
Cumprida metade da corrida, Matilde Ferreira (nº 53), com chassis DR, era 7ª classificada e lutava pelos primeiros lugares, mas um toque obrigou-a a cair para a 21ª posição! Marta Castro (Birel) recebeu ordem para sair de pista depois de lhe ter sido mostrada a bandeira que estava a ser ‘dobrada’, mas não percebemos porquê, dado essa situação não se verificava e que rodava na 11ª posição! Guilherme Alves (Energy), que nas corridas de qualificação esteve na luta pelos lugares da frente, foi forçado a abandonar a três voltas do final.
Rodrigo Testa (DR) não teve muita sorte nesta prova. Depois de ser 8º nos ‘cronos’, foi forçado a abandonar na primeira corrida de qualificação, conseguindo, no entanto, ser 14º classificado na Final, à frente de Ivan Domingues (Mad-croc), que também esteve bem na primeira manga de qualificação e de Francisco Dias (Mad-croc). João Pinto-Coelho (Birel), José Pinheiro (Ricciardo), Enzo Canadas (Tonykart), Frederico Pinto-Coelho não tiveram muita sorte nesta prova, assim como o estreante Francisco Órfão (Energy) em competições oficiais, dado que foi forçado a abandonar na Final 1.      

Mário Borges garante top-5 na Final 2 depois início atribulado
A luta pelo derradeiro lugar do pódio foi igualmente animada na Final 2, tendo ficado na posse de Henrique Cruz, após largar da oitava posição. Lourenço Marques assinou mais um positivo quarto lugar e Mário Borges encerrou o top-5… mas ainda rodou na terceira posição. O piloto da Maia mereceu este resultado, já que após ter sido o terceiro mais rápido nos treinos cronometrados, na primeira corrida de qualificação um incidente obrigou-o a abandonar, assim como Henrique Cruz e, mais tarde, Rodrigo Testa.
Duarte Pinto-Coelho voltou a estar na luta pelos lugares cimeiros e foi sexto classificado, à frente de Miguel Montana, Adriàn Malheiro, Matilde Ferreira – que largou da 21ª posição – e de Tomás Martins, pilotos que encerraram o top-10.
Duarte Ferreira e Tomás Ribeiro caíram na partida para o meio do pelotão, mas ainda conseguiram recuperar até às 11ª e 12ª posições, respetivamente, com Miguel Couteiro a assinar mais um positivo 13º lugar.

Classificações em http://camminho.com/wp-content/uploads/2015/05/Cadetes.pdf

Filipe Cairrão
VVL Sport Image

OKKART srl © COPYRIGHT 2018 | VAT IT02629390598 | Privacy Policy - Cookies Policy